Skip to content

Sobre a CP

A Casa do Parto de Sapopemba é um Centro de Parto Normal, localizado na região sudeste da capital paulista. É um serviço de saúde gerenciado em conjunto pela Supervisão Técnica de Saúde de Vila Prudente e Sapopemba e pela SPDM – Associação Paulista pelo Desenvolvimento da Medicina, associação parceira com a Prefeitura de São Paulo para gerenciar os serviços do Programa de Saúde da Família nesta região.

Atende desde 1998 a mulheres com gestação normal, de baixo risco, independentemente do local de moradia ou do setor aonde foi realizado o pré-natal – SUS, particular ou convênio. Seu atendimento é feito integralmente por Enfermeiras Obstétricas e Obstetrizes com longa experiência na área, apoiadas por auxiliares de enfermagem.

O acompanhamento para o parto tem início a partir das 37 semanas, ocasião na qual é aberto o Plano de Parto. Neste Plano, é analisada toda a história obstétrica, clínica e de amamentação da mulher. O acompanhamento pré-natal e as condições da mulher para dar à luz na Casa do Parto são avaliados. A mulher não deve ter problemas de saúde (cardíacos, pulmonares, renais, etc.) ou na gestação (de gêmeos, cesariana em parto anterior, hipertensão, etc.). Cada caso é analisado individualmente. A gestante deve prosseguir normalmente com seu acompanhamento pré-natal, paralelamente ao atendimento na Casa do Parto.

A partir da abertura deste Plano, são realizadas consultas semanais até as 40 semanas de gestação. Das 40 até as 41 semanas, as consultas são feitas a cada 2 ou 3 dias. Quando a gestante chega até as 41 semanas e ela e o bebê estão em boas condições, mas não há sinais de trabalho de parto, é feito um encaminhamento para o hospital, para avaliação com o médico obstetra. Este encaminhamento pode ser feito em qualquer consulta, caso seja detectado algum problema com a mãe ou o bebê.

Nestas consultas são fornecidas informações sobre o processo do trabalho de parto e parto, sobre a amamentação e sobre quaisquer dúvidas que o casal ou a mulher e seus familiares tenham. Servem também para que haja familiaridade dos usuários com o ambiente e a equipe (ou pelo menos uma boa parte dela).

Entre uma e outra consulta, a grávida pode retornar à Casa do Parto quando quiser ou mesmo esclarecer dúvidas por telefone. Isto é particularmente útil no caso de mulheres que moram em regiões distantes de São Paulo e querem se certificar de que seus sintomas significam que o trabalho de parto teve início ou há necessidade de procurar atendimento médico. Durante as consultas e o parto, é estimulada a presença de um acompanhante de livre escolha da mulher.

Durante o trabalho de parto, há uma postura otimista e encorajadora por parte da equipe. São estimuladas práticas de conforto e alívio da dor sem uso de medicamentos, tais como: caminhadas, massagens, banhos de chuveiro e hidromassagem e livre movimentação. Além disso, a mulher pode utilizar quaisquer métodos que julgue serem úteis, tais como músicas de relaxamento e aromaterapia. O registro do parto em fotos ou vídeo é também decisão da mulher e seus familiares. A mulher pode se alimentar e tomar líquidos livremente, com as refeições disponíveis na Casa ou com alimentos que considere convenientes trazer para a ocasião.

No parto, a mulher escolhe a posição que lhe parecer mais adequada. É evitado o uso de episiotomia, que será realizada em casos de real necessidade e não rotineiramente. São estimulados o contato pele a pele da mãe e do bebê logo após o parto, a amamentação na primeira hora de vida e o corte do cordão umbilical pelo acompanhante.

No período após o parto (puerpério) são feitas orientações sobre amamentação, cuidados com o bebê e alimentação, entre outros. A alta ocorre em torno de 24 horas após o parto, caso o bebê e a mãe estejam em boas condições. É agendado um retorno em torno de 3 dias após o parto, para coleta do exame do pezinho (PKU) e reavaliação da mãe e do bebê. Esta consulta é feita novamente aos 15 e 30 dias de vida do recém-nascido ou a qualquer hora que a mãe deseje retornar. São realizados exames de tipagem sanguínea, imunização e reflexo vermelho ocular do bebê e administração de imunoglobulina anti-D (Rhogan), no caso de mães Rh negativo que precisem desta medicação.

Nas situações em que ocorrer necessidade de encaminhamento imediato da mulher na gestação, durante o trabalho de parto ou para avaliação do recém-nascido, a Casa do Parto de Sapopemba dispõe de motorista e ambulância exclusivos para estas transferências. O hospital de retaguarda é o Hospital Estadual de Vila Alpina, acessível a 8 minutos da Casa do Parto. A equipe é treinada para casos de emergências que envolvem a mulher e o recém-nascido e dispõe de equipamentos e medicações para estas situações.

Há trabalhos científicos que demonstram que os resultados de mães e bebês da Casa do Parto de Sapopemba são similares aos de casas de parto semelhantes na Europa, EUA e Austrália. Estão disponíveis online no Banco de Teses da USP.
Com esta estrutura, a Casa do Parto de Sapopemba dispõe de tecnologia, ambiente e profissionais adequados para oferecer às gestantes de baixo risco e suas famílias a experiência do parto e nascimento como eventos familiares e em ambiente acolhedor.

%d blogueiros gostam disto: